Gosto de cozinhar e de criar, embora o tempo seja cada vez menos para tudo isto! Ainda assim, costumo aproveitar sobretudo o fim de semana em que estamos todos por casa e, como deixo a Eva um pouco entregue ao pai, lá vou eu para a cozinha fazer a sopa para a semana e algumas refeições para os dias seguintes, e outras que acabo por congelar, para nos facilitar na hora dos almoços e jantares, ainda mais atribulados durante a semana!

Pouco depois da Eva nascer, tentava fazer tudo muito rápido para ir novamente ter com ela ou, muitas vezes, interrompia os cozinhados para estar um pouco junto dela e para a ir amamentando! Ultimamente, apercebemo-nos que ela adora estar na cozinha, comigo, a seguir cada um dos passos na correria frenética entre o frigorífico, a despensa, o lava-louças e o fogão. Garantimos sempre a segurança dela, e colocamo-la longe de toda esta agitação, sem estar no caminho que percorro, mas de modo a que me esteja sempre a ver! Ela adora! E para mim também é melhor porque é mais um tempinho que passo com ela, sem a ouvir choramingar de vez em quando lá na sala, chamando por mim!

Segue-me a todo o momento com os seus olhitos sedentos de estímulos visuais, auditivos, tatéis e mesmo olfativos! E, ora não fosse já meu apanágio, lá ando eu a aproveitar cada segundinho e oportunidade para estimular a pequenota! “Agora a mãe está a fazer a sopa… vamos por muitos legumes, para chegar cheia de coisas boas ao teu leitinho! Já tem lentilhas, … couve-flor, … courgette, … abóbora, .. batata… cebola, … tantas coisas!” Vou indicando o nome de cada legume aos poucos, com tempo… muitas das vezes, mesmo antes de os colocar na panela para cozinhar, já partidos, levo-os junto da Eva. Mostrou-lhe as cores, os cheiros, … volto a repetir o seu nome… e ela responde com o seu grande e reluzente sorriso, em jeito de aprovação!

Nem sempre consigo manter o contato ocular com ela pois, enquanto lavo e parto os legumes ou enquanto coloco os alimentos nos tachos e panelas, acabo por estar virada de costas. E é nessas alturas que ela chama, à sua forma carinhosa “hu… eh… rrr…ahhh!!!!” É eminente o meu olhar e lá cruzamos nós mais uns quantos sorrisos! Ela sabe como me cativar! E, no final de contas, ali estamos nós num diálogo constante e enriquecedor! “Agora vamos tratar do jantar… arroz ou massa? O que te apetece no leitinho de logo à noite? Olha, … a sopa já está a ferver,… daqui a pouco já a podemos passar para juntar as couves e a cenoura! Achas que vai ficar boa? Vai saber tão bem, quentinha!!!”.

E pronto, uma simples tarefa rotineira, repetitiva e que fazia cada vez mais à pressa e com cada vez menos tempo para o prazer que sinto em cozinhar, voltou a transformar-se numa lide doméstica revestida de significado e de alegria! Já imagino a Eva, daqui a uns tempos, a cozinhar comigo! Os doces, … ai os doces! Bolachinhas, … bolos,… Já somos uma dupla promissora! Vamos ver o que o futuro nos reserva! Os ingredientes, já ela os conhece, … os segredos, esses também já lhos vou desvendando, … o companheirismo cresce a cada dia, em cada experiência… e o conhecimento de novas palavras, aromas e cheiros estão ali sempre, a estimular os sentidos ávidos de saber da minha pequenina! Está lançada a semente do saudável vício da culinária!


2 comentários

carlosamaralphotography · 17 de Novembro, 2016 às 12:18

hehe vão ser duas grandes cozinheiras!

Leave a Reply

%d bloggers like this: