Dúvidas e questões – papinhas caseiras com aveia!

Olá mamãs! Os últimos textos do blog acerca das papinhas caseiras foram dos mais comentados e muitas dúvidas foram colocadas. Respondi a todas elas em particular, mas resolvi responder a mais umas questões sobre as papinhas caseiras com aveia com todas vocês, pois muitas das questões que esclareci podem perfeitamente ser também as vossas!

Antes de mais, manifesto o meu agrado pela consciência que fomos despertando nas mamãs para a questão do açúcar e de todos os produtos industrializados. Recebi vários comentários e opiniões de algumas de vocês que ficaram muito interessadas no tema e aguardam as próximas receitas. Tive também testemunhos de outras mães que se aperceberam dos ingredientes adicionados nas papas de “pacote”, tal como referimos, e algumas delas não cederam à nova compra destas, convertendo-se às nossas papinhas caseiras, muito mais saudáveis e tão simples! Fico realmente feliz por poder ajudar-vos nesta introdução ao mundo das papinhas caseiras ou ao seu complemento, com novas ideias e receitas!

E vamos então falar um pouco daquelas que foram as dúvidas e questões mais colocadas acerca das nossas papinhas com aveia:

Cozinhar ou não cozinhar a aveia?

A aveia em farelo/farinha é, por si só, de pequeníssimas dimensões e em muitas embalagens refere mesmo a não necessidade da sua cozedura. É também sabido que em cru, este cereal tem ainda mais propriedades nutricionais. Assim, na sugestão que fiz, a aveia NÃO precisa de ser cozinhada pois é apenas adicionada como complemento à fruta cozida, não sendo, em si, a receita das tradicionais papas de aveia. Dessas falaremos mais tarde, numa outra sugestão de receita. Assim, podem perfeitamente adicionar uma ou duas colheres de chá de aveia, ou mesmo mais, ao preparado da fruta cozinhada ou ralada em cru, conforme o gosto e preferência dos vossos bebés! Eles são os nossos melhores guias nestas experiências!

Dúvidas e questões – papinhas caseiras com aveia!

Outra sugestão que vos deixo é que este enriquecer da fruta cozida com a aveia pode também ser feito, por exemplo, numa fruta cozida a que juntámos um pouco mais de água do que desejaríamos durante o processo de cozedura, ficando a fruta mais líquida e menos consistente, o que dificulta a sua dádiva ao bebé. Muitas vezes a fruta está tão madura, acontece-me sobretudo com as pêras, que por menos água que lhe ponha ao cozinhar, estas ficam sempre mais líquidas depois de passadas com a farinha mágica. Assim, acrescento a aveia e a sua consistência fica logo outra, mais próxima de puré do que da consistência líquida!

A questão do glúten

Sim, a aveia é recomendada depois dos 6 meses, por conter glúten! Assim, bebés que introduzam as papinhas aos 4 meses, não devem logo experimentar a aveia como ingrediente de suporte! Existem versões sem glúten, mas são mais dispendiosas e vale a pena esperar pelos 6 meses, pois há outras alternativas de farinhas sem glúten, aptas logo desde os 4 meses! Amanhã mesmo vos trarei uma receita para os mais pequeninos, para as primeiras papinhas, sobretudo úteis para as mamãs que terminam a licença de maternidade e têm logo que deixar os pequenotes entregues ao cuidado de outra pessoa.

Que proporção/quantidade de fruta e aveia deve ser usada?

Cá em casa costumo sempre ter fruta cozida: maçã, pêra, as duas em conjunto, … por isso não faço doses individuais de cada vez que faço estas papinhas. Penso que, para vos poder indicar quantidades aproximadas vos posso sugerir cozer cerca de 3 maçãs ou 3/4 pêras e adicionar uma ou duas colheres de chá de farinha de aveia (flocos finos para bebés com dentinhos). Ficamos assim com uma dose individual de papinha com cerca de 150 a 200 ml.

Em que momentos dar estas papinhas com aveia?

Como a receita que sugeri tem mais quantidade de fruta cozida do que de aveia, sendo apenas a fruta enriquecida com a aveia, opto por dá-la à Eva como sobremesa, variando das vezes em que apenas lhe dou pêra ou maçã cozida, ou outras frutas raladas/picadas em cru (banana, papaia, manga, abacate, …). Ainda assim, são também ótimas opções para lanches ou pequenas refeições, quando nos apercebemos que os nossos bebés não estão saciados! Como cheguei a indicar, são uma boa opção para levar para viagens e mesmo para a creche, podendo ser preparadas de véspera ou já na manhã do próprio dia!

Estas papinhas podem ser congeladas?

Há mamãs que congelam estas papinhas, sim! Eu pessoalmente prefiro ter a fruta cozida, o que faço de dois em dois dias em quantidade, e vou juntando a aveia no momento, antes de a aquecer a fruta em banho-maria, ou logo após o momento de as aquecer! Mesmo que não tenhamos fruta cozida, descascar 3 ou 4 peças de fruta, cozer e triturar não nos leva mais que 10 minutos, sobretudo quando a fruta está madura! Quando tempo esperamos que ferva a água para as papinhas de “pacote”? Penso que comparando o tempo de preparação, não há muitas diferenças, mas as vantagens destas papinhas caseiras são mais que muitas! Ainda assim, congelar não é problema, desde que nas devidas condições. Algumas fontes defendem como melhor método de congelação o do “choque térmico”, ou seja, congelar os alimentos ainda quentes, fazendo com que a diferença abrupta de temperatura preserve as qualidades e nutrientes do nosso produto final, inativando enzimas e destruindo possíveis micro-organismos, um processo muito próximo do que é a pasteurização.

Quais as variedades e possibilidades de aveia que existem no mercado?

Estas são apenas algumas das embalagens que tenho em casa e que costumo utilizar, dando-lhes diferentes usos!

20170316_121224.jpg

Esta é a minha eleita: aveia em farelo/farinha de aveia integral, sem OMG (Organismos genéticamente modificados)  Custa cerca de 1,60€ e dá para imenso tempo. Comprei no supermercado, na zona dos produtos bio! Como refere a própria embalagem, não necessita de cozedura, podendo ser acrescentada a fruta, sopas, bolos, … É desta que adiciono sempre cerca de duas colheres de chá nas frutinhas da Eva! Daqui a uma ou duas semanas também vos trarei outras receitas com ela!

20170316_121136.jpg

Gosto de usar esta em bebidas, com um copo de sumo ou de leite. Basta adicionar uma colher de sopa, cerca de 10 gramas, e temos uma bebida enriquecida e nutritiva, ótima para saciar aquelas “pequenas fomes”. Pode também ser adicionada às nossas papinhas e, por serem flocos solúveis, a textura da aveia passa mais despercebida, ficando a papinha sem aqueles “restinhos” visíveis da aveia triturada/em farinha! Inicialmente comprava no “Celeiro”, mas ultimamente também já a vi à venda no Continente, custa cerca de 2 euros.

20170316_121337.jpg

wp-image-1504057660jpg.jpeg

Dados da Aveia

Estas duas versões uso para picar no “1,2,3” quando quero fazer bolachinhas caseiras! Há uma versão para bebés que muito aprecio também para os meus lanches que pode ser dada aos pequenotes desde os 6 meses, e leva apenas dois ingredientes! Um dia destes também partilho esta maravilha com vocês! Os flocos finos podem mesmo ser assim usados, sem necessidade de picar muito mais. São excelentes hipóteses para quando os pequenos começam a ter os primeiros dentinhos e já vão mastigando, o que é bom os familiarizar com novas consistências e para aprenderem a lidar com os alimentos sólidos! Existem várias marcas: área viva continente, salutem, cem porcento, marca mini-preço, …todas rondam o valor de 1€ (as marcas “brancas” de supermercado por vezes nem aos 0,70€ chegam!)… compro indiscriminadamente, dependendo daquela que há promoção, pois gosto de todas!

Dúvidas e questões – papinhas caseiras com aveia!

Espero com estas questões conseguir esclarecer as mamãs que ainda tinham alguma reticência em iniciar estas papinhas! Responderei a todas as dúvidas que ainda possam surgir, sobretudo quando resolverem meter “a mão na massa”! Estarei para ajudar em tudo o que conseguir! Quero conhecer as vossas opiniões, partilhar experiências e saber se os pequenos aprovam as papinhas… e já agora, os papás e mamãs também! Amanhã trago-vos então uma receita que pode ser dada logo desde os 4 meses, por conter farinhas sem glúten! Já falta pouco…não deixem de ler e experimentar!

Mais?

Pode encontrar mais dicas sobre papinhas caseiras aqui.

Também pode aprender a fazer as suas papinhas diretamente comigo!


3 comentários

Alexandra Marques · 19 de Março, 2017 às 18:23

Boa Joana
Fico a aguardar ansiosamente pelas papinhas sem glúten 4 meses pois para o mês que vem já vou trabalhar e a minha filhota faz 5 meses e quero experimentar papinhas boas e saudáveis.
Bjokas

    joanaaterapeuta · 19 de Março, 2017 às 19:03

    Olá Alexandra!! Já falta pouco! Daqui a nadam chegam mais algumas sugestões! Um beijinho e muitas felicidades!

carlosamaralphotography · 21 de Março, 2017 às 16:52

Esclarecido!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *