E aqui vos deixo hoje mais uma deliciosa e simples sugestão de papinha caseira onde, sem esquecer os pais, também deixo uma versão enriquecida e mais saborosa para que todos se possam deliciar juntamente com o bebé! Uma alimentação saudável deve ser implementada logo desde o berço e com os nossos pequenotes podemos rever os nossos hábitos alimentares de tantos e tantos anos! Aceitam o desafio?

Como confecionar?

Ora aqui vai, a papinha é muito simples de fazer! Mantemos a regra de 1 colher de sopa de farinha para 60 ml de água! Para a Eva opto por fazer a papinha com 2 colheres de farinha de milho e 120 ml de água quando pretendo adicionar a fruta que já tenho previamente cozida (maçã, pêra, maçã e pêra em conjunto, …). Podemos ainda adicionar outras frutas, tais como a banana esmagada, papaia, manga, ou mesmo a maçã e pêra raladas no momento!

Quando faço a papinha sozinha, ou seja, sem adicionar fruta, por norma cozinho-a com 3 colheres de sopa de farinha de milho e 180 ml e, em dias em que a pequena está mais esfomeada, vamos às 4 colheres de farinha para 240 ml de água! Quando quero fazer também para mim, cozinho juntamente com a da Eva, pois é no final que junto alguns ingredientes extra para mim. Assim, é possível cozinhar uma versão para a mãe e para a filha, ou para o pai e para a filha (sim, porque aqui em casa o pai também já se rendeu às papinhas caseiras e já dei com ele a oferecer uma à pequena quando cheguei das compras, em alternativa à maminha que naquele momento não estava disponível!).

O processo a seguir é igual ao da confeção da farinha de arroz que também já aqui sugeri. Misturamos a farinha na água fria e levamos ao lume a engrossar! Não leva mais que dois ou três minutos até se obter a consistência que conhecemos das papinhas de pacote e esta fica tão parecida (apenas na aparência, pois no conteúdo é muito mais saudável)!

Como enriquecer a papinha? Versão para bebés e para pais!

Depois de feita, basta juntar a fruta para os mais pequeninos e, para nós, pais, aconselho a juntar um pouco de canela, ou um pouco de coco ralado, fruta desidratada, cereais puff, um pouco de açúcar amarelo, granola, algumas sementes (chia, sésamo, linhaça, girassol, …), entre tantas e tantas alternativas! Juntar uns cubos de fruta ou a fruta ralada tal como fazemos para os pequeninos também a torna ainda mais deliciosa!

Como a farinha de milho não contém glúten, parte positiva mamãs: apta logo desde os 4 meses, ainda que, já sabem, sempre que vos for possível, façam a alimentação com leite exclusivo até aos 6 meses, como recomenda a OMS. Caso não seja possível, fica aqui uma alternativa de complemento da alimentação “amiga do bebé!”.


8 comentários

carlosamaralphotography · 2 de Abril, 2017 às 22:46

Vou experimentar!!

Carina · 29 de Setembro, 2017 às 14:10

Olá Joana 🙂 Obrigada pelas suas ideias 😉
Vou agora iniciar as papas para a minha Benedita, comprei farinha de arroz bio e farinha de milho!
misturo a farinha na água e levo ao lume, certo?! Mas tenho que deixar ferver ou basta ter a consistência desejada?! Obrigada
Um beijinho

    joanaaterapeuta · 29 de Setembro, 2017 às 14:55

    Olá Carina, boa tarde! 🙂 Obrigada eu pelo feedback e por saber que estou a ajudar mais uma mamã e a sua pequenina! Que bom saber! 🙂 Sim, a farinha é misturada na agua fria. Depois de bem desfeita vai ao lume e mexemos sempre até engrossar! Normalmente quando ela começa a borbulhar coincide com o momento em que está na consistência certa! Não leva mais que uns dois minutinhos, normalmente! 🙂 Qualquer dúvida basta colocar! Um grande beijinho e muitas felicidades para a pequena Benedita e sua família! 🙂

Bianca Martins · 18 de Outubro, 2018 às 13:13

Boa tarde. Gostei muito das receitas e gostaria de experimentar. A minha bebé tem agora 5m. Poderia dizer-me qual a marca de farinha de milho apropriada para tal ou o link com uma imagem da farinha que utilizou. Uma papa que também a pediatra me recomendou foi de Maizena e ela gostou bastante. Obrigado.

    joanaaterapeuta · 19 de Outubro, 2018 às 1:04

    Olá Bianca, boa noite! 🙂 Obrigada por nos seguir e pelo feedback. É realmente uma ótima opção para a pequenina, a mais saudável de todas! 🙂 Farinha de milho existem várias. No supermercado, junto às farinhas convencionais já costumam aparecer várias hipóteses. Depois há também nas áreas de produtos biológicos e de suplementos. Pode reparar que são mais caras mas. Se forem biológicas o preço aumenta um pouco, se forem integrais, sobe mais um pouco. Mas a farinha de milho é das mais em conta, e das que mais gosto pessoalmente. Há várias marca, vou usando conforme a que encontro e não tenho nenhuma da referência. Como a tenho usado também para bolos e para waffles caseiras, da última vez comprei mesmo um saco de 5 kg. Fica mais económico. Qualquer dúvida, cá estou, sempre! 🙂 Beijinhos e felicidades! 🙂

Carla · 5 de Dezembro, 2018 às 10:16

Obrigado pela partilha. Posso fazer e dividir em porções e colocar no frigorífico?

    joanaaterapeuta · 5 de Dezembro, 2018 às 11:41

    Olá querida Carla! 🙂 Sim, claro! Como a papinha é feita com água preserva-se algum tempo. Por exemplo, pode fazer de vespera e levar depois, ou mesmo juntar algum ingrediente no momento de a dar ao bebé: um pouco de fruta, leite materno, … Mas elas são tão simples de fazer que, sempre que posso, faço mesmo na hora. Por vezes, o tempo de aquecer é o tempo de fazer fresquinha. Não leva mais que dois minutos! 🙂 Qualquer dúvida, estou ao dispor! 🙂

Carlos Amaral · 21 de Março, 2020 às 13:17

Já experimentei e é uma maravilha!

Leave a Reply

%d bloggers like this: