Várias vezes somos confrontados com pais que falam de cólicas, com médicos que vão aconselhando a melhor forma de as evitar e prevenir, ofertas de diversos produtos de farmácia… mas na verdade, cá em casa aprendemos por nós próprios qual o melhor de todos os elixires para as danadas!

As primeiras semanas com a Eva não foram fáceis! As cólicas noturnas eram imensas, o cansaço acumulado e a novidade de se ser mãe e pai de primeira viagem também não ajudaram! As primeiras noites com ela, em casa, foram mesmo uma aventura, ora me levantava eu, ora se levantava o Carlos, … às tantas o desespero da pequena era tanto que o nosso ficava a condizer, … chorava ela, choravamos nós, … que sensação de impotência! É nestes momentos que, se pudessemos, trocávamos com eles toda e qualquer dor física, mas apenas nos restava poder acalentar-lhe a alma com aconchego!

Nunca recorremos a nenhum produto de farmácia para o controlo das cólicas. Sei de quem o faça, mas por aqui não foi opção. De início, culpava alguma coisa que comia pelas cólicas da pequena, … cheguei a deixar de comer imensos alimentos, …. até que percebi que, mesmo assim, as cólicas se mantinham. De uma próxima, não volto a fazer o mesmo! Hoje sei que a alimentação da mãe influencia o sabor do leite e pode aumentar as cólicas, mas apenas se forem alimentos mesmo “complicados” e ingeridos em grandes quantidades. Quando me perguntam o que não se deve comer durante a amamentação eu respondo “nada… que não seja feito com conta, peso e medida, moderadamente!”.

E assim fomos aprendendo! Depois veio o instinto maternal, mas sobretudo o paternal! Na altura, um simples aconchegar da pequena ao colo do pai fazia milagres! Hoje sabemos, e depois de ler algumas evidências, que o próprio calor do corpo masculino ajuda a acalmar! Por isso mesmo, tantas vezes se usam os saquinhos de sementes aquecidas, … o efeito é o mesmo, e estávamos a fazê-lo, quase sem saber!

O maior bálsamo para as cólicas, e o seu grande fim, aconteceu mesmo quando decidi deixar de ouvir quem me dizia que “colo de mais estraga os bebés!”. Tantas e tantas vezes que já o ouvimos… reconhece esta expressão, não reconhecem? Pois eu ouvi-a tantas vezes que decidi perder o medo e assumi a minha posição de mãe na sua plenitude. Passei a dar colo sem horas contadas, quando a pequena queria, … sem receio do que poderia ouvir, … e tanto que ouvimos! Mas a benção veio quando as cólicas foram ficando cada vez menos frequentes, até que desapareceram. Hoje sei que é o melhor que podemos fazer, … era o que devia ter feito logo desde início!

Na pré-história, os bebés andavam onde? Ao colo? Claro!! Não podiam correr o risco de estar longe das mães, sentindo-se desprotegidos e chorando! Seriam logo apanhados pelos predadores! Colo! Colo! Não, não são modernices! São marcas da história que apenas confirmamos! Ora, mas afinal, o que faz o colo? O colo permite a posição vertical dos bebés! E isso leva a… maior frequência de arrotes, mesmo que não seja após o momento da refeição! Sim, … arrotamos várias vezes ao dia, e os bebés não são excepção! Quanto mais os arrotes forem saindo, menos ar fica retido no estômago dos bebés, ar este que é o grande responsável pelas tão afamadas cólicas!

E foi assim que deixei de dar ouvidos “à vasta experiência de quem só queria ajudar”, .. de quem me dizia que “um dia hás-de querer fazer a vida e ela só te pede colo”… Sim, pede colo, ainda hoje! E é tão bom!!! Quantas vezes sou eu que lhe pego, só porque sim, … só para matar saudades, … Já sabem… da próxima vez que vos perguntarem qual a melhor forma de tratar as cólicas, ou melhor, de as prevenir, a resposta é simples… C de cólicas, … C de colo… muito e muito colo!!!


4 comentários

carlosamaralphotography · 31 de Janeiro, 2018 às 0:29

Aquela noite em que vencidos pelo cansaço adormecemos os dois, ela de cima da minha barriga como que aliviada e eu exausto todo torcido na cama do quarto de hospedes… Segui a intuição, simplesmente….

Rosa Gonçalves · 31 de Janeiro, 2018 às 3:55

Muito Colo…logo muito babywearing 😊😊
A verticalidade, o calor do nosso corpo, a barriga com barriga, a nossa calma são fatores que ajudam na redução da cólica e ansiedade dos papás e bebés, porque por vezes a cólica também é isso, o stress do Bebé.
Esqueçam o “vicio de colo” e desfrutem, o contato físico é básico e essencial ao ser humano!
Obrigada Joana e Carlos pela partilha!

    joanaaterapeuta · 31 de Janeiro, 2018 às 10:24

    É mesmo isso! Concordo, em tudo! Foi desde que deixamos de ligar ao chamado “vício do colo” que tudo mudou! Amor ao máximo nunca fui nem será um vício! Os nossos bebés crescem rodeados de amo, e isso é o mais importante! Obrigada a ti também, por toda a ajuda! 🙂

Leave a Reply

%d bloggers like this: