Hoje é dia 28 de Novembro… não é uma data propriamente marcada por ser o dia que é, mas sim porque a Eva completa hoje 4 meses e 5 dias! Por norma, não contamos os dias a partir de certos meses, nem muito menos em números assim, que parecem aleatórios… Mas para mim é um marco importante, e que desde o primeiro momento em que tive a Eva nos braços lembrei.

Quem me conhece sabe que perdi uma irmã, mesmo ainda antes de eu própria nascer. Daí não me considerar a irmã mais velha, mas sim a irmã do meio. A Liliana tinha precisamente 4 meses e 5 dias quando, no seu frágil e terno sono, partiu… Desde cedo que conheci esta história, pois sempre me habituei a ver a sua fotografia em casa e num pequeno fio em forma de coração que tanto a minha mãe como as minhas avós usam. A imagem que guardo em mim é a de um bebé sereno, vestido de verde claro, com um garruço e um  sorriso enigmático, mas tão em paz!

Iam-me dizendo que perder um filho com 4 meses é menos duro do que quem os perde em adultos, pois com estes últimos já há muito mais para contar e muito mais coisas vividas, mas para mim, isso não é bem assim! Descobri com a minha Eva que mesmo com apenas alguns dias, já há tanto para contar, tanto para recordar, tantas fotografias e vídeos deliciosos, sorrisos que nos preenchem os dias e nos fazem desejar que eles acordem, só para os revermos vezes e vezes sem conta. A Eva tem agora 4 meses e já temos tantas memórias boas que davam para escrever linhas e parágrafos a fio…

Sempre me tentei por no lugar dos meus pais, mas sabia que nunca perceberia esta situação que viveram, …  a não ser no dia em que fosse, também eu, mãe! Quando soube que estava grávida, com todos os medos que sentimos, foi das primeiros coisas que pensei, e a dor que senti foi tão profunda e intensa, e ainda nem a minha menina tinha sentido em mim. Com o evoluir da gravidez essa sensação foi ficando mais forte… os meus pais foram tão corajosos!

A vocês, mãe, pai, … quero mostrar hoje, mais uma vez, todo o carinho, respeito e admiração que vos guardo. São fortes, muito fortes, mais do que julgam. Admiro-vos por se terem mantido firmes em relação ao sentimento que vos une, … aguentar algo assim não deve ter sido nada, mas mesmo nada fácil. São dois seres enormes, ao nível heróico! São os meus pais, mas mais que isso, são um exemplo para mim! Hoje sou mãe e sei que é preciso muita coragem para deixar os nossos pequenos nem que seja por horas, … imagino ter que me mentalizar quando a ausência se torna um terrível e inaceitável sempre…

Não consigo conter as lágrimas, tantas e tantas vezes, … muitas dessas vezes mesmo em frente à Eva, quando a vejo sorrir, quando ela nos “fala” ou mesmo quando passo horas a vê-la dormir. Carregamos em nós, família, um fardo demasiado pesado de medos e inseguranças que nunca ninguém irá entender, a não ser que tenham passado pelo mesmo. O ir espreitar constantemente se o bebé está a respirar (senti tanto isso com a minha irmã mais nova, e agora sinto-o ainda com mais responsabilidade em relação à Eva), a vontade de permanecer em guarda permanente ao berço, … não, ninguém pode perceber, …

Papá, … obrigada por te teres mantido forte e firme ao lado da mamã. Por teres sido o ombro que lhe amparou as lágrimas, os medos e as noites em claro, motivadas pela angústia. Obrigada por não teres perdido a vontade de amar e de me dar o colo que bem sei que gostarias de ter dado à mana…

Mamã, as palavras mais sentidas vão para ti! Hoje sou mãe… já antes partilhava da tua dor, mas hoje sinto-a em mim, ainda mais profunda. És forte, tão, mas tão forte! Cada dia me surpreendes mais com essa garra e com essa força. És sem dúvida a mais bela mulher da minha existência. Por ti dou tudo, apenas para te arrancar um sorriso. És uma guerreira, não sei como seria se tivesse estado no teu lugar. Admiro-te tanto e tenho medo de não to conseguir dizer em palavras nem demonstrar em atos. Espero que ainda tenhamos muitos anos de vida para to continuar a mostrar. És linda sabes? Gosto de ti e respeito cada lágrima que deitas quando falamos deste assunto, mas ainda mais as que guardas num autêntico furacão interior. Chora agora, pois eu também choro… podes ser frágil ao menos uma vez na vida, pois eu estou contigo. Admiro-te, venero-te… conta sempre comigo. Agora temos uma família ainda maior, temos a Eva! Tira todo o proveito dela e sê feliz! Não ambiciones nunca menos que tudo isto! Amo-te, sinceramente!

Sara, sim, tu também és tão importante para mim! Sabes que sim! És a minha irmã mais nova, aquela que eu pude abraçar e tenho o privilégio de ver crescer e se tornar mulher! É em ti que materializo tanto do que gostava de ter vivido com a nossa mana, tantos beijos, tantos abraços que recebeste em dobro, também pensando nela… Sente todo o meu amor, gosto de ti, e tu sabes!

E é ao olhar para a Eva que agradeço cada dia, cada momento, cada gargalhada e os olhares de ternura. A Eva está comigo e faz hoje 4 meses e 5 dias. Parabéns filha! Que sejas eterna na minha vida, pois no meu coração já o és, juntamente contigo, querida Liliana! Tantas vezes digo que gostaria de te ter conhecido, … quantas vezes nos imaginei juntas, em confidências. Um dia, … um dia terei esse gosto. Até lá, fico com o teu sorriso em memória, com o teu rosto pequenino e tão indefeso. Sim, às vezes revejo-te no rosto da Eva e fico reconfortada… sei que estás a olhar por nós! Daqui de baixo, hoje te mando um beijo enorme, a ti e a quem te carrega ao colo aí em cima. Sem dúvida és guardada por um anjo, um anjo tão especial nas nossas vidas. Sei que juntas nos protegem e guardam a cada dia, e sou mais feliz por o saber… A vós, minhas estrelinhas, pais, Sara, Eva, … obrigada!

 

 


3 comentários

carlosamaralphotography · 29 de Novembro, 2016 às 11:14

Muita força…

    joanaaterapeuta · 29 de Novembro, 2016 às 11:25

    Obrigada pelo carinho! Felizmente sinto-me muito recompensada com a pequena Eva! É uma benção nas nossas vidas. É por ela e por toda a família que cada dia vale a pena, pois só juntos tudo faz mais sentido! Obrigada!

Amamentação vs Leite artificial/fórmula: a guerra que NÃO se impõe! – Joana a Terapeuta… e a Mãe! · 17 de Março, 2019 às 15:27

[…] em tempos partilhei com vocês que perdi uma irmã apenas com quatro meses aqui, … com apneia do sono, … imaginam o medo e o terror de ser mãe de primeira viagem, com […]

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado.