Valorizo os meus amigos e tudo o que de bom vivemos, revivemos e lembramos quando nos encontramos! Dou um significado imenso à amizade, às mais antigas e às mais recentes, desde que genuínas e recíprocas. Mas, alguns acontecimentos com pessoas bem próximas de mim, nos últimos tempos, têm-me deixado assustada quanto ao real “conteúdo” e “recheio” da palavra “amigo” para os adolescentes/jovens/pré-adultos da atualidade! Esta preocupação acentua-se ainda mais pois agora sou mãe e sei que também a minha filha irá, cada vez mais, perceber o que este conceito significa, com tudo o que de bom e de mau ele possa acarretar!

Cresci e tornei-me mulher, adulta, … não posso dizer que os meus melhores amigos sejam os de há muitos e muitos anos, desde o berço! Tenho bons amigos desde essa fase, alguns que foram ficando acomodados na memória e nos meus dias, essenciais a alimentar o amor e carinho que por eles carrego no meu coração, mas alguns dos bons e fieis amigos já os fiz na idade adulta, consciente, sem falsidades nem pretextos de “tem que ser, porque somos da mesma turma…” ou “porque é bonito darmo-nos todos bem”! Não, nunca deveria ser assim… mas a falsidade que hoje em dia presencio em certas “amizades” (se assim o posso chamar) assustam-me e deixam-me em pânico!

Os nossos adolescentes e jovens são amigos efémeros: hoje sim, amanhã não, … mas depois podemos voltar a ser outra vez “irmãos”, mais ligados e chegados que nunca”. Hoje “dou a vida por ti”… amanhã “nem te quero ver por perto”… e o ciclo faz-se vezes e vezes sem conta até que uma das partes destas ditas amizades tóxicas tem o bom-senso, a decência, a maturidade e a coragem de dizer “basta”! Não,… não tenho que andar “mal acompanhando” só porque fica mal andar sozinho pelo intervalo da escola ou porque depois não faço o que os outros vão fazer, mesmo que não me interesse, … Não, … também não estou com este ou com aquele só porque fica bem para a fotografia recheada de “pouca verdade” que vai para as redes sociais, o centro do mundo de muitos dos jovens!

E assim, com o evoluir dos anos (sim, porque há dez anos tinha eu 18 e as coisas não eram assim tão diferentes), o meu círculo de amigos, ou melhor, de conhecidos, foi-se encurtando, … cada vez mais pequenino e selecto, preenchido pela verdade que tanto prezo e pelos nobres sentimentos que tento praticar no meu dia-a-dia… O que antes era um círculo gigantesco foi dando lugar a uma espécie de quadrado, … apenas alguns pontos base, as minhas bases e os meus refúgios, … aquelas estacas fortes que me fortificam quando o “vento” teima em soprar mais forte! É estes que guardo, cada vez com mais força e dedicação no coração, … e de mim têm tudo, tudo o que de melhor sei ser!

Filha, a ti, que um dia serás jovem, adolescente, … continua a ver com os olhos do coração como o fazes agora, em pequenina, … continua a espalhar o teu sorriso lindo ao mundo e derrama a doçura infinita que te preenche a alma… mas atenção: nunca deixes de olhar “segunda vez”! Presencia reações, … cochichos, … falsos sorrisos e apertos de mão. O mundo é cruel, mas é aquele em que vivemos! Se o podes tornar um pouco melhor que o vieste encontrar? Tenho a certeza que sim! É isto que te quero ensinar, a cada dia!

Jovens de hoje em dia, … crianças e pequenotes que daqui a alguns meses e anos serão os jovens desses mesmos dias, … apenas vos deixo esta singela mensagem: “não são invencíveis! Não são melhores que ninguém! Não falem mal de quem está longe de vocês, pois aí, poderão eles estar a falar mal de vós! Vejam bem para quem falam mal do outro, … passado 5 minutos, os papéis invertem-se e é outro que fala mal de vocês!” Não se sentem mal com este sentimento de incerteza? A sensação que teria no vosso caso era a de viajar num barco furado, … sempre perto de afundar, …

A vocês que serão os homens e as mulheres do futuro da minha filha, … que o bem paute os vossos trilhos, … a vocês que serão os governantes, os patrões, os professores, os bancários, … os adultos responsáveis este país, … vejam que mundo querem apresentar aos vossos filhos, … o que hoje mostro à minha filha, não seria, de todo, a minha primeira escolha, … mas é o que temos! Sou teimosa e utópica e mesmo assim lhe passarei os melhores valores! Sempre ouvi dizer: a quem te der uma estalada, vira-lhe a outra face! Mas, mais que a educação religiosa que recebi, … cresci a ouvir o meu pai dizer insistentemente: Joana, … quanto mais te baixas… mais se ve o cú!” Poético não é, mas ensinamento sábio é-o no mais puro dos sentidos!


0 comentários

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado.