Todas nós, quando começamos a pensar em receitas para os nossos pequenotes com cerca de um ano ou dois, ou até mais velhos, vemos as ideias esgotadas ao fim de algum tempo e ir variando parece quase impossível. Fazer coisas simples e rápidas quando o tempo escasseia torna-se ainda mais complicado. Por isso mesmo, hoje trago-vos uma sugestão que foi o almoço de ontem da pequena e que ela adorou! O prato ficou limpo em menos de nada e o ar de consolo dela encheu-me o coração. Conclusão: a repetir, para ela e em família, pois aqui a mamã também comeu e chorou por mais (sim, porque a pequena não se ficou pelo peixinho dela e ainda acabou por partilhar do meu, tal foi o gosto com que vi sumir a dose que lhe tinha posto no prato!).

A sugestão que vos deixo fica pronta em menos de 10 minutos, o suficiente para ir aquecendo a sopa da pequena e lha ir dando. Comecei por cozinhar o bulgur num pouco de água, apenas com uma pitada de sal e alho em pó. Podem sempre adicionar outros temperos, sempre de forma controlada por causa dos mais pequeninos! As ervas aromáticas também ficam maravilhosas e umas rodelas de alho francês dão “aquele” toque especial e divinal, capaz de transformar algo tão simples num prato digno de livro de receitas “chique-gourmet”!

Para os que ainda não descobriram esta maravilha, o bulgur, também conhecido como triguilho, é um grão muito nutritivo, obtido a partir do trigo em estado natural, sem processamento inicial. É rico em fibras e proteínas e pode ser cozinhado apenas em dois minutos! Sim, 2 minutos, não leram mal! Para além de tudo, é rico em magnésio, fosforo e ferro e funciona como um ótimo anti-inflamatório do sistema digestivo. Tudo bons motivos para o introduzirmos na alimentação familiar! Um saco de 500 gramas custa em média 1,70€ e permite ser cozinhado para várias refeições, sendo nós 3 aqui em casa, tal como um comum saco de arroz! Em vez de aqui perguntarmos se fazemos massa ou arroz para as refeições, o leque de opções já é mais vasto: “querem massa, arroz, bulgur, quinoa, trigo, cevada, …?”. Sobre outros destes ingredientes mágico-maravilhosos falar-vos-ei em breve, noutras sugestões para pais e filhos, logo desde tenra idade!

Ora, voltando ao nosso bulgur, depois de colocado no tacho com sal, água e alho em pó, leva-se ao lume até ferver! Como a quantidade de água para a cozedura é reduzida, quase apenas o suficiente para o cobrir no tacho, a fervura é muito rápida. Dois minutos a ferver será o suficiente, restando depois tapar o tacho com um testo adequado. O resto da cozedura faz-se nos 10 minutos seguintes, com o calor residual, suficiente para fazer abrir um pouco mais os pequeninos grãos do bulgur. Eu, por opção, gosto muito mais que essa cozedura seja feita durante os 10 minutos, ao lume, mexendo de vez em quando.

Enquanto o bulgur cozinha, tenho já uns filetes de pescada a descongelar que tempero com um pouco de sal, pimenta, alho em pó e ervas aromáticas. Depois, numa frigideira anti-aderente pré-aquecida, e sem qualquer gordura adicionada, coloco os filetes. Bastam cerca de 5 minutos para que eles fiquem cozinhados e suculentos. Para que esta textura seja mais facilmente conseguida, a confeção deve ser feita com a frigideira tapada com uma tampa, para que os próprios sucos do peixe se libertem e ajudem na cozedura! Basta virar uma vez ou outra para que fiquem bem cozinhados!

Delicioso, rápido e muito prático para aqueles dias em que estamos sem ideias ou em que o relógio teima em avançar bem mais rápido do que a nossa capacidade de mães nos permite agir em benefício das nossas pequenas crias! Experimentem e comentem! O que acharam os pequenos príncipes aí de casa deste pitéu?

Categorias: Uncategorized

2 comentários

carlosamaralphotography · 8 de Setembro, 2017 às 23:22

Aqui em casa adoramos! Obrigado!

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado.