A madrugada de hoje caiu-me como um peso no coração, … o dia amanheceu triste e cinzento no meu pensamento, … ainda mais do que se via no céu, lá fora! O mundo acordou com menos um sorriso, um sorriso que permanece e permanecerá na minha memória eternamente, … um sorriso que já relembrei vezes e vezes sem conta nas últimas horas e que me deixa sempre de lágrimas nos olhos e com uma saudade que grita tanto, mas tanto cá dentro, … por fora, tento manter a serenidade no olhar e a esperança no rosto, … sinto os afagos da Eva e sei que tenho todos os motivos para continuar em frente, … menos um, que hoje deixa o meu mundo mais pobre.

Avô, … só queria mais uma oportunidade, mas infelizmente não a tivemos, … ainda assim, já te disse tanto no interior do meu ser, … agora estás num sítio privilegiado e com os sentidos bem apurados, sabes bem o que ecoa do meu coração, tenho a certeza que me ouviste. A saudade já é tão grande, … e sei que ainda vai crescer mais. Contudo, hoje a saudade disfarça-se com a lembrança dos momentos felizes que vivi ao teu lado, dos dias de alegria que partilhámos e das pequenas coisas que simbolizam tanto para nós… Esta semana mandei-te um beijo, levado ao teu leito definitivo pelo meu pai, teu filho, … sei que o recebeste com o carinho de sempre, … mas estavas em vantagem, … sabias que ia ser o último, não sabias? Foi por isso que sorriste assim? Fico feliz por te ter feito sorrir, mesmo nos teus últimos dias de “ser”. Hoje, vives ainda com mais força no meu coração! Estás comigo, bem guardado!

Ganhei um novo anjo, … sabes como me sinto mais segura por isso? Sei que me vais proteger pela vida fora, … a mim e “à nossa menina”! Não havia vez que não perguntasses por ela, … pouco já ouvias quando falávamos ao telefone, mas o teu pensamento estava sempre nela, … Sabes a mágoa que guardo por nunca a teres segurado ao colo? Por nunca lhe teres visto um sorriso teu, só teu, gerado e dirigido SÓ para ti? (Nota mental a levar para a vida: não ouças as vozes “tortas” Joana, nunca mais, … faz o que te manda o coração e o teu instinto mais profundo! Pensamento guardado, … se bem que para nós, já de nada serve, … nem sabes o quanto isso me faz sentir ainda mais pequenina, impotente e incapaz, …).

Hoje, sou eu quem te dá uma “fiore”… Não, não fomos colhê-la juntos no teu jardim, … não, … esta não pica, … mas dou-ta com todo o carinho, com o mesmo carinho com que tu más davas e tantas vezes mas punhas nos cabelos longos, …

Não, … hoje não vamos comer frango com picante, … “avô, pica!!!”. Era ver a magia a acontecer ante ti quando me ouvias a lamentar tal flagelo. Era o teu gosto secreto, … só pelo prazer de me ouvires dizer esta frase que depois repetias vezes e vezes sem conta, com a mesma satisfação. Tenho a certeza que aquela gotinha de picante era posta a mais, com tanta satisfação!

Obrigada pelo dia em que, depois de tentar fazer “sopa de sardinheiras” e de estar com tanta, tanta comichão nas mãos de ter “migado” as flores me ajudaste a por creme, … e sopraste, sopraste! Olhei-te como um herói e fiquei tão mais aliviada!

Avô, … vai! Vai em paz e com toda a serenidade que sempre me transmitiste… Guardo em mim, mais que nunca, a tua figura simples e carinhosa, … o teu ar de avô amigo, tão forte, mas tão frágil ao mesmo tempo, … és um herói para mim “avô do pica”, guardo-te hoje e sempre, … Que saudades vou sentir da tua mão no meu ombro, quando serenamente só me dizias “então, meu filhote…”, … ou quando estavas no auge da felicidade do teu pequeno mundo e me dizias “oh meu Joaninho!”, sim, assim mesmo, sem enganos!

Hoje sou eu quem te leva uma “fiore”, com todo o amor, com toda a carga sentimental que uma flor simboliza entre nós, … hoje sou eu quem deixa uma “fiore, … no teu jardim definitivo…

Categorias: Uncategorized

2 comentários

carlosamaralphotography · 28 de Maio, 2017 às 22:58

Nó na garganta…

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado.