As primeiras palavras podem surgir em diversas fases do desenvolvimento dos bebés. No blog, em vários textos, já vos falei desta temática e a verdade é que a variabilidade entre as crianças é imensa. Uns dizem primeiro “mamã”, outros “papá”, … outros fogem à regra e chamam o nome da avó, do irmão ou irmã, do gato, … cada criança é um caso singular e nenhum tipo de comparação deve ser feito, nem mesmo entre irmãos, outros familiares ou amigos. As experiências e as vivências diárias são diferentes em cada bebé, por isso mesmo, os estímulos a que estão expostos vão determinar muito do que é o surgir e o evoluir da linguagem. Há bebés que começam a balbuciar com poucos meses, outros fazem-no mais tarde!

A Eva começou por dizer “papá” com cerca de 8 meses, … com o passar do tempo surgiu o “mamã” e actualmente já usa ambas as palavras de forma intencional. Por vezes, até chama “mapá”, quando nos quer aos dois por perto, no imediato! É tão engraçada!

Agora, quase com 18 meses, a explosão da linguagem está eminente! Lembram-se quando vos dizia, noutros textos, que os bebés são autênticas esponjas para o vocabulário a que estão expostos? Que tudo o que ouvem, mesmo sem falar, é vocabulário em potência, guardado e prontinho a ser usado quando as estruturas da fala se desenvolvem? Pois bem, as evidências começam a surgir aqui por casa. A Eva começou a diversificar a alimentação bem cedo, … atualmente já vai comendo de tudo um pouco e por isso mesmo, a exigência feita aos lábios, à língua, aos dentes e a todas estas estruturas que, diretamente, intervêm na fala é cada vez maior. Tudo é feito de uma preparação meticulosa e genial por parte da nossa natureza!

Constantemente a expomos a novas vivências, a diversos livros, vamos comentando o que vemos ao nosso redor e ela própria já aponta, um outro sinal da evolução da comunicação, quase como forma de nos pedir para que digamos o nome de tudo o que observa. É esta curiosidade e disponibilidade imensa dos nossos bebés que nos deve mover a descrever tudo o que temos à nossa volta. Há uns tempos atrás dizia a uns pais, numa sessão de terapia fala, com um menino ainda não-verbal, que temos quase de ser como os locutores daqueles programas da BBC Vida Selvagem, nomeando tudo o que temos nas nossas casas, o que usamos nas rotinas com os nossos pequenotes, … o que fazemos na cozinha, como cozinhamos o jantar, .. como lhes damos banho, o que lhes vestimos… é esse mesmo vocabulário que eles ficam a digerir e a guardar para mais tarde!

A Eva repete já muito do que nos ouve dizer, … aponta para os livros que tem e já vai dizendo os nomes das coisas que observa, tal como nós o faziamos meses antes, … Se lhe oferecemos um livro novo aponta para tudo e mais alguma coisa. Quer saber os nomes, … olha-nos nos olhos e olha para a nossa boca, tentando retirar o modelo. Esta é uma ótima dica que vos posso dar: digam aos vossos bebés o nome do que vêm em livros, na televisão, nas vossas casas, na rua,… digam-no de forma exagerada e lenta, permitindo que eles vejam como a vossa boca se mexe e como se movimentam a língua, os lábios, … a imitação é das melhores formas de aprendizagem!

E assim, aos poucos, somos surpreendidos com a Eva a dizer “um, dois, tês…”… “tato, cinco,…”. É uma delícia ver tudo ali, presente no seu dia a dia, .. coisas simples que fomos fazendo quando tinha ainda poucos meses, e que continuamos a fazer diariamente…

Ainda assim, a explosão da linguagem ocorre agora, … e mesmo os bebés que ainda dizem poucas coisas podem estar para despertar nesta fase, .. até aos dois anos, o surgir da primeira palavra ainda é aceitável. Depois, deve tentar perceber-se o motivo para que este início não tenha ainda sido possível. A opinião de um terapeuta da fala pode sempre ajudar! Para os bebés que já vão dizendo algumas palavras, e por aqui o crescimento no vocabulário é diário, é divertido ir observando o que fui aprendendo quando me formei em terapia da fala. Tudo o que está escrito nos livros é verdade, .. o que vou vendo diariamente no contexto clínico também acontece, em diferente escala, com os bebés!

A tendência das crianças, na evolução da fala e da linguagem, é sempre de simplificar, … há certos padrões que, em idades tão tenras são ainda difíceis de alcançar. Não espero que nesta fase, apenas com 17 meses, a Eva já diga palavras com o som /r/ ou com o /l/. O limite para que estes sons surjam são os 4 anos e meio, cinco anos, … mas há coisas que facilmente se percebem. Há palavras em que são omitidos sons iniciais, algumas sílabas, … sobretudo quando as palavras são maiores. A nossa gata, a Liz, por vezes é só apenas a “Iz”, mas há ali intenção comunicativa clara! O Trilo é “ilo”, ou “Tilo”, .. mas já é tão bom de ouvir estas tentativas tão fofinhas e com uma voz tão meiga. A “banana” por vezes ainda é “nana”, mas a palavra já tem três sílabas e neste caso ainda é comum que uma delas seja suprimida!

Com o tempo, com a nossa ajuda e com a exposição a muitas e muitas novas experiências, a linguagem e a fala continuarão a florescer, … os nossos bebés continuarão a crescer e nós, papás e educadores, a deliciar-nos com as suas conquistas e proezas, dia-a-dia, hora-a-hora, minuto-a-minuto! E aí por casa, que palavras já vão dizendo os mais pequeninos? Partilhem connosco esses tesourinhos que, mais tarde, tanto gostaremos de recordar!


0 comentários

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *