E como prometido no texto de ontem, onde deixei já algumas dicas com as bases para a confeção das papinhas caseiras, aqui vos deixo algumas ideias para partilharem com os vossos pequenotes! Depois, indico uma versão alternativa para os papás e mamãs também poderem partilhar estas delícias com os mais pequeninos!

A primeira experiência feita com a Eva foi com fruta cozida (maçã e/ou pêra) e farinha de aveia! Um pacote de farinha de aveia fica muito em conta, não chega a dois euros uma embalagem de meio quilo, e falo mesmo de aveia integral, a melhor ao que julgo saber! Em alternativa, esta farinha pode ser obtida através dos flocos de aveia, mais comummente encontrados nos supermercados, colocando-os na picadora (“1,2,3”). É rápido e simples! De uma forma ou de outra, basta que juntem esta farinha de aveia à fruta previamente cozida, cerca de uma colher ou duas, conforme a dose de fruta de que dispõem! Aqui por casa já experimentámos com maçã cozida, pêra cozida e as duas juntas, qual delas a melhor?

A pequena come tudo com uma satisfação incrível! O procedimento pode ser feito de dois modos alternativos: 1) colocar a farinha de aveia na fruta ainda fria e aquecer em banho maria, caso já tenham fruta conservada no frigorífico (eu cozinho sempre mais que uma dose de cada vez, cerca de três ou quatro, o que dá para dois dias, contando com a sobremesa do almoço e a do jantar). 2) Aquecer a fruta e juntar a farinha de aveia, esperando depois um pouco para que a farinha “cozinhe” um pouco com o calor residual e fique mais incorporada, engrossando a fruta!

As formas de fazer estas papinhas são tantas! Esta farinha nem precisa de ser cozinhada, é tão, tão rápido!!! E super saudável, pois é uma ótima aliada na proteção do sistema imunitário e prolonga a saciedade, ajudando ainda no controlo dos açucares no sangue e do colesterol! Não é por acaso que a Aveia é considerada como um dos alimentos mais completos para os bebés, para além de ser ótima no auxílio à regulação intestinal! Ainda assim, não se deve exagerar o seu consumo, fazendo o seu uso regrado e controlado, não mais que numa papinha por dia!

Na confeção da papinha, cabe às mamãs e papás escolherem se colocam mais ou menos farinha! O gosto dos pequenotes vai ditar as suas preferências, por isso basta que vão fazendo a experiência nas várias refeições: mais farinha, mais fruta… eles vão dando indicações preciosas! Há dias em que a Eva come com tanto apetite que mal tenho tempo de ir buscar outra colher ao prato antes que ela comece a choramingar, tal é a sua vontade!

Para os bebés que já vão tendo dentinhos, em alternativa à farinha de aveia, podem ser usados os flocos mais fininhos, fazendo com que os pequenotes se vão habituando a novas consistências e à presença de alguns sólidos, o que é ótimo para despertar e aperfeiçoar a mastigação, essencial a um crescimento harmonioso da face e ao desenvolvimento das estruturas como a língua, as arcadas dentárias, entre outras.

Mamãs, espero que tenham gostado da sugestão! Seja para a sobremesa dos pequenotes, seja para um pequeno lanche ao meio da tarde, a opção é simples e prática! E o melhor: pode já ir preparada numa caixinha que se leva para um lanche, em viagem ou para comer fora de casa! E cá nos conseguimos assim escapar aos “boiões”, tão afamados, mas tão pouco naturais! Reparem nos rótulos, vejam a quantidade absurda de açúcar e outros componentes industrializados que contêm… Sabiam que a ordem por que surgem os ingredientes nos rótulos indica o seu predomínio no produto? E quantas vezes o açúcar é o primeiro ou segundo indicado? Fiquem alerta papás e mamãs, não se deixem manipular pelo marketing!

E nós, sim, nós, pais? Também podemos repetir e partilhar desta receita hoje sugerida! A Eva adora quando se apercebe que estamos todos a comer o mesmo! Parece que se sente crescida! Podemos então fazer uma dose extra para nós pais e, porque não, acrescentar um pouco de canela? Fica a dica! E ainda esta semana, mais algumas receitas simples, económicas e super saudáveis! 🙂 E muito em breve, algumas receitas serão apresentadas e confecionadas passo a passo em pequenos vídeos! Já sabem, se tiverem dúvidas não deixem de as colocar, responderei a todas. Contem-me também as experiências com os vossos pequenotes e estas papinhas… fico à espera!

Categorias: Uncategorized

7 comentários

carlosamaralphotography · 14 de Março, 2017 às 22:16

Fiquei com água na boca!

Liliana Silva · 15 de Março, 2017 às 23:12

Mas a farinha não precisa mesmo de cozinhar?

    joanaaterapeuta · 15 de Março, 2017 às 23:36

    Olá Liliana! Não, sendo pouca quantidade não é preciso! A aveia nesta sugestão que dei entra em pequenas quantidades, apenas como forma de enriquecer a fruta cozida! Se vir nas embalagens ha sugestões de a adicionar a sopas, batidos…sempre sem ser cozinhada. As vantagens nutricionais são ainda maiores! Em breve darei uma receita mesmo de papas de aveia, sendo aí a aveia o ingrediente principal e em maior quantidade. Aí sim, será cozinhada, pois será ela a dar a consistência à papinha!!

      Liliana Silva · 16 de Março, 2017 às 9:49

      OK, muito obrigada, irei experimentar daqui a algum tempo, o meu bebé tem 3 meses, beijinho

        joanaaterapeuta · 16 de Março, 2017 às 9:51

        Que bom! Aguarde então até aos 6 meses por causa da questão do glutén! Mas ainda esta semana darei outra receita apta para bebés de 4 meses!! Um beijinho

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado.