Natais de ontem… Natais de hoje!

Por mais que os anos passem, a magia do Natal não se perde, … seja ela focada em que pormenor seja. De uma forma ou de outra, Natal é sempre sinónimo de estar em família, seja ela composta por dois, três elementos, ..vinte, cinquenta… o importante é estar, é sentir!

Não, não sinto que a magia se perca com a idade, … de uma forma ou de outra, ela vai-se transformando, é apenas isso que sinto. Há uns anos atrás, especial era a sesta que fazia a meio da tarde, … sem ela o Menino Jesus e o Pai Natal não vinham lá a casa! Enquanto isso, na cozinha, a azáfama da minha mãe e da minha avó era para porem o bacalhau, as batata e as couves na panela. Para fazerem a sopa de Natal, com o pão deixado no final, bem abafadinho! Que saudades desse petisco! Ainda hoje, seja onde for, por mais simples que seja o migar de pão na sopa, que não costumo fazer por norma, mas que de quando em vez faço para relembrar cheiros e momentos de outros tempos, .. é sempre a “sopa de Natal” que me vem à memória!

Com os anos perderam-se pessoas especiais, … umas que permanecem no pensamento e no coração, … outras que se foram de vez! Umas que foram por decisão da vida, … outras que tomaram a decisão da sua vida, … Cada uma delas ocupa o devido lugar no meu pensamento e coração! Umas foram pela força dos tempos, … outras escolheram ficar! Outras chegaram, felizmente! Com elas trouxeram nova luz, novas gentes, novas tradições, momentos, gargalhadas e sentires. Obrigada Carlos, por tudo o que acrescentas em mim! Outras nascem e chegam carregadas de energia positiva, de luz verdadeira e doce… minha Eva, quão doce e perfumada é a vida contigo!

Hoje, os natais são mais conscientes! Sei perfeitamente onde e com quem quero estar! Sei realmente quem quer estar perto. O Natal deste ano ganhou uma magia nova… não melhor que a de antes, mas ganhou um novo sentido… um novo vínculo de família. Pela primeira vez conseguimos reunir na mesma mesa as pessoas que em anos anteriores ficavam amigavelmente “cá” e “lá”! E nós, que antes andávamos “cá” e “lá”, porque queríamos estar com as famílias “dos dois lados”, este ano conseguimos juntar “a família”! E fez tanto sentido! Pois a realidade é que é assim que a vivemos!

Não, … o Natal de ontem não teve o programa de espetáculos que antes fazia, … a família cá em casa tinha direito a Sarau de Natal… eu cantava, dançava, tocava órgão, flauta, … e oferecia mesmo um programa escrito, como mandava a tradição! Tinha magia à sua maneira. Mas ontem, a estrela da festa foi a nossa pequena. Também ela canta, dança, sorri, … e assim vamos ganhando novas tradições! O soar da sineta do pai natal, … o descobrir em que lado as badaladas soaram e saber que porta deveriamos abrir para descobrir um novo presente… a vontade em estar connosco, em partilhar aquele livro especial, aquele jogo que lhe prendeu o olhar! Minha Eva… tão feliz que és, … tanto que temos a aprender contigo!

Sem dúvida, … a magia continua a acontecer, … ela perdura no tempo… molda-se aos novos tempos, aos desafios que nos chegam! Melhor? Pior? Não sei, … alegre e feliz foi, certamente! Que mais anos assim venham… nada mais posso pedir! Boas festas a todos… acima de tudo, que nunca se perca esta essência! Natal sem consumismo, … Natal da Família… o Natal do Estar, do Dar-se, … apenas e só isso, nada mais!

Segredos de Natal

Já há algum tempo que ando para publicar este texto, mas o pouco tempo que tenho tido, fruto de tudo o que já é habitual no dia-a-dia (trabalho, cuidar da casa, da Eva, …), a juntar aos afazeres próprios desta época, não me tem deixado muito tempo livre! E assim é, são precisamente 5:38 da manhã de sexta-feira e estou eu, de volta do computador, a deixar-vos aqui uma pequena mensagem de natal com alguns segredos que penso que poderão dar ainda mais cor e brilho ao vosso natal, bem como ao dos mais pequeninos!

Este Natal, para mim, é especial. O do ano anterior foi memorável, pois confirmámos que a Eva vinha mesmo a caminho e demos a notícia aos familiares mais chegados, como já vos tinha contado. Mas este ano, o sabor é ainda mais docinho e ternurento, pois é o primeiro Natal que a Eva passa connosco, ao nosso colo, brindando-nos com o seu sorriso mágico, capaz de sarar qualquer mágoa dos dias que vão correndo!

Desde que perdi a minha estrelinha há uns anos atrás que o Natal tem tido um gosto mais amargo, marcado pela solidão e pela tristeza. Por isso, desta vez, quero mesmo recuperar a alegria que tinha em viver o Natal. E sabem que mais? Sinto-me como uma miúda, com os seus 5 ou 6 anos, expectante em relação à noite de Natal! Quase que me apetece, na tarde do dia 24, voltar a dormir a sesta só para que o Pai-Natal possa vir à vontade! Sempre foi assim em casa dos meus pais!

Quis que a Eva entrasse neste espírito natalício e, por isso, este ano, pela primeira vez cá em casa fizemos uma árvore de natal, com tudo a que há direito: luzes, bolas, enfeites variados… A Eva delira com toda esta magia e felizmente o Trilo, o nosso gato, o responsável por nunca termos feito a tentativa de ter uma árvore, tem-se portado à altura. Ora, se a árvore cá de casa, modesta em tamanho, faz as delícias da pequena, é vê-la em êxtase em locais públicos onde as luzes cintilantes são apanágio, rainhas de cada recanto! Os pequenos olhitos da Eva não lhe fazem a vontade em satisfazer tanta curiosidade. E assim, aos poucos, a beleza do Natal volta a erguer-se perante os nossos olhos. Hoje mesmo estaremos reunidos com a família e isso torna tudo ainda mais gracioso.

Deixo-vos ainda mais um pequeno segredo, que penso que vão a tempo de pôr em prática, hoje ou amanhã: a escrita da carta ao pai Natal! Sim, a Eva também já enviou a dela! Amanhã partilhamos com vocês o que ela quis dizer ao simpático velhote das barbas brancas. Mas, afinal, qual é o segredo, se todas as crianças gostam de escrever umas letras pedindo o que lhes vai no imaginário? É que, se depois colocarmos a carta num envelope e a dirigir-mos, mesmo sem selo, ao “Pai Natal dos CTT – Pólo Norte”, lá pelos meados de Janeiro, os mais novos recebem uma pequena lembrança dos correios: uma carta juntamente com um miminho (em anos anteriores já foram postais, jogos para recortar, …). Se este ano não mudar nada, não custa tentar, para fazer os nossos pequenos sorrir ainda com mais luz!

Fica a promessa, amanhã mostrou a cartinha da Eva! 🙂