A Magia dos Gestos – “Baby Signs”

 

Já há cerca de 3 anos que descobrimos em família a magia dos gestos, através do programa Baby Signs. Foi pela mão de quem o trouxe a Portugal, a querida Sabla d’Oliveira, que o conhecemos. Desde há uns tempos que seguia a sua página no Facebook e, quando soube que viria dar formação a Coimbra, foi a loucura. Tivemos a felicidade de receber uma inscrição gratuita para o workshop de pais e desde logo ficámos rendidos. Na altura a Eva tinha sete meses! O workshop foi uma delicia, recheado de doçura e magia! Os bebés podiam circular livremente, podiam brincar e descobrir todo o espaço que tinha sido devidamente preparado para eles! Enquanto isso, nós, pais, íamos descobrindo alguns dos gestos, partilhando-os logo com eles. Logo começamos a por tudo em prática, assim que chegámos a casa. Persistência e dedicação são as palavras de ordem quando falamos desta abordagem. Certo é que, logo aos 8 meses, a pequena disse a primeira palavra. O primeiro gesto surgiu pouco tempo depois.

Durante vários dias e semanas íamos “rotulando” de gestos muitas das coisas que fazíamos, muitos dos objetos que nos iam passando pelas mãos, … o “comer”, o “beber”, o “gato”, o “coelho” da história, o “cão” do brinquedo, o “gosto de ti” que a toda a hora lhe diziamos e que ainda hoje é usado carinhosamente quando me despeço dela na janela de casa, mesmo que não a consiga ouvir… a “música” que púnhamos todos os dias e que a pequena adorava e adora,… e foi precisamente esse o primeiro gesto que fez! A magia aconteceu mesmo ante o nosso olhar! A sua motivação era a de ouvir música num dia em que não a tínhamos logo colocado, por isso foi ela mesmo que pediu, por iniciativa própria. Nem queríamos acreditar ao vê-la fazer o gesto. Ficámos loucos de alegria. Gravámos e enviámos à Sabla, que sempre vibra connosco e com estas pequenas vitórias. O vídeo chegou mesmo a ser partilhado no grupo secreto a que ficamos a pertencer, logo após a conclusão do workshop. Ali partilhamos conquistas, dúvidas, novos gestos que queiramos aprender, … temos todo o apoio e incentivo!

Ora, constatada que estava a eficácia do programa na minha vida pessoal, comecei também a aplicar as mais valias na vertente profissional, nas sessões de Terapia da Fala. Desde essa altura, em que fiz também o workshop para profissionais, que a magia chegou também às salas, com os “meus” meninos mais pequeninos. Ora, não é o gesto uma das primeiras abordagens que eles usam? Aquela que por vezes mantêm durante tanto tempo, levando por vezes a atrasos na fala? E se pudermos ter esses mesmos gestos, como base para a evolução da linguagem, como motor maior? Pois é, é isso mesmo que o programa “Baby Signs” preconiza. Ao contrário do que muitos papás e educadores receiam, não, o Baby Signs não contribui para o atraso do desenvolvimento da linguagem, deixando a criança presa a gestos, por mais e mais tempo. Não! O Baby Signs pega precisamente naquilo que a criança vai dominando, dando-lhe segurança nas suas partilhas, dando ênfase à sua iniciativa comunicativa. A par de tudo isso, a nossa missão de adultos, quer enquanto pais, quer enquanto profissionais (educadores, professores ou terapeutas) é mesmo a de ir dando novos gestos, novos estímulos. A par disso mesmo, o gesto é sempre acompanhado pela palavra. Assim, a estimulação da linguagem é conseguida. Seja nas interações quotidianas, em todos os contextos da criança, seja na leitura de uma história, ao cantar uma canção, em todas as brincadeiras, … qualquer iniciativa é ótima para transmitir mais e mais vocabulário. E depois? Depois… é só deixar a magia acontecer! Redução de birras, maior ligação entre pais e bebés, mais segurança emocional, … tanto, tanto, tanto que se ganha na relação com os mais pequenos!  Comprovada que está a eficácia deste programa a nível internacional, que mais esperam para o vir conhecer em Coimbra, pela mão da querida Tânia Dias?

Baby Signs

Pois, é verdade! A vida traz-nos estes presentes incríveis! A Tânia é uma amiga de outras andanças, também das que me apaixonam e me prendem mais um pouco do coração. Somos colegas do curso de CAM (Conselheiras em Aleitamento Materno)… partilhamos a paixão pela maternidade, pelo aleitamento, pelos bebés, pelas crianças e pelas conquistas bonitas! Mais uma vez, e ao fim de vários meses de preparação cuidada, juntamos esforços e trazemos a Coimbra a alegria e a dinâmica Baby Signs. Depois do sucesso do “Workshop Baby Signs de Natal”, no nosso “cantinho do coração”, teremos workshop de pais, já no dia 12 de Janeiro. A inscrição inclui a participação do casal e do bebé, apenas por 25€. Dias 16 e 23 de Janeiro, teremos em horário pós-laboral os níveis I e II para formação de profissionais. É educador e quer ser agente ativo na evolução da linguagem dos mais pequeninos? É terapeuta da fala e quer dar nova cor as sessões com os utentes mais novos? Temos preços especiais para inscrição conjunta nos níveis I e II! Falem connosco ou espreitem as paginas de Facebook. Esperamos por vocês… para que a magia continue a espalhar-se!

https://www.facebook.com/BabysignsTaniaDiasCoimbra/

https://www.babysigns.pt/team/tania-dias/

E quando os pequenos ficam doentes?

Pois é, … a altura das gripes e constipações chegou em força. Mas tirando estas “más da fita” do Inverno, durante o ano há mais vilãs e para todos os gostos: viroses, gastroenterites e tudo o que mais se possa imaginar. Vacinamos, isso sim! Conseguimos evitar muita coisa! E felizmente a pequena cá de casa até tem sido “rija” e tirando os “boca-mãos e pés” desta vida, pouco tem precisado de ficar em casa.

Mas hoje aconteceu, … aconteceu e eu trabalho a recibos verdes. O pai para faltar ainda mais complicado se torna. E para piorar, as avós vivem a 120 km de distância e trabalham. Hoje fiquei em casa com a pequena, sim! Adoro o meu trabalho, os meus meninos e utentes mais velhos, mas hoje a Eva passou mesmo para primeiro plano. Começou com uma tosse terrível já na segunda feira e ontem piorou muito. Ficou letárgica e sem forças, só queria miminho e estar deitada no sofá. Quase vomitava com tanta tosse. Dizia que tinha “tosse na barriga”, tantas eram as dores de tossir e o desconforto que isso lhe causava! Demos xarope para a febre, pois esta já se fazia sentir e a noite foi de espera e muita paciência e amor. De manhã a febre ainda não tinha dado tréguas e por isso a opção foi mesmo ficar com ela. Para evitar que ficasse pior, … e para evitar contagiar os colegas que ainda não estavam assim tão mal. Mas tantos pequenos que têm andado assim, …

Quantos pais haverão como nós, que dependem apenas um do outro, com profissões que os absorvem por vezes quase a tempo inteiro…? Não houve escolha possível nem diferente, … a escolha foi mesmo a Eva. Para lhe dar o meu carinho, o meu amor, os meus cuidados, o meu colo, o meu mimo, … tudo o que ela mais precisa. Abdiquei do meu ganha pão, … passei meia hora em mensagens para todos os pais, de todos os meninos que teria hoje em sessão, e para os educadores e professores das escolas onde estaria com alguns deles, …  e nem sequer recebo nada de apoio da segurança social, … nem sei se a isso tenho direito, … mas pagar, ui se pago! E agora ainda pior, pois as novas regras não sei quem vêm beneficiar.

Fica o desabafo, … fica a reflexão… ser trabalhador a recibos verdes não é fácil, … ver os nossos filhos doentes ainda mais difícil é. Vale-nos o sorriso grato por cada momento passado juntos e a esperança de o amanhã ser melhor e de já irem felizes e cheios de alegria para mais um dia de escolinha!

 

Idas ao supermercado e preocupações ambientais de uma mãe!

Na semana passada, quando fui às compras de fim de semana, fiquei em pânico (ainda mais) com tudo aquilo que estamos a viver atualmente. Sim, todos temos ouvido cada vez mais falar do flagelo do plástico, do tempo que ele demora a ser destruído quando deitado fora, da existência de mais plástico nos mares que na própria terra e de todos os animais que têm perdido a vida devido a tudo isto. E o que mais estará para vir?

Até os microplasticos que as fibras sintéticas das nossas roupas contêm atualmente são perigosos, pois tudo vai para a água e, consequentemente, volta a nós, seja sob a forma de água para beber, em cervejas e outros produtos. Nem quis acreditar quando o Carlos me enviou um vídeo sobre isto durante a semana. É mesmo uma calamidade, e todos temos que ficar alerta!

plástico 1

Sou mãe e educadora, como muitos de vós. Pais, avós, professores, … todos temos que nos preocupar com isto. Primeiro que tudo, tentando sensibilizar os nossos pequenos para este problema, fazendo-os agir desde cedo, de forma consciente e responsável. O tempo que resta ao nosso planeta para reverter tudo isto é escasso, e temos mesmo que ser nós, já, nesta geração, a dar o corte com tudo o que de errado tem sido feito.

Fiquei realmente em pânico no passado Domingo quando fui às compras com mais tempo e disponibilidade que durante a semana, fazendo as compras mais a longo prazo, para o resto do mês. Já pensaram na quantidade de embalagens de plástico que trazemos para casa, que servem apenas uma vez na vida e vão para o lixo? Mesmo sendo recicladas, é muita quantidade de produtos desperdiçados. Uma simples embalagem de papel higiénico, frutas que já vêm embaladas, o pacote do arroz, da massa, .. os invólucros dos sumos, … Por essas e por outras razões, há produtos que já nem entram cá em casa. E quanto aos sacos para as frutas, esses são de papel, usados vezes e vezes sem conta. Todas as vezes que vou às compras levo-os na carteira. E estão muito à beira de ser substituídos pelos bons e velhos sacos de pano.

plastico2jpg

Seria tão bom começar a ver ainda mais produtos a granel à venda nos supermercados e pequena superfícies. Sim, bem sei que há locais onde já acontece, mas há vezes que, ora a balança está estragada, ora o stock não é reposto ou é reduzido, … Os esforços são imensos, mas têm que continuar e temos que ser nós a incentivar. Eu própria já enviei emails com sugestões sobre alguns destes temas. Não é justo que, mesmo querendo adquirir produtos biológicos, tenhamos que trazer cada um deles numa embalagem de plástico. Por vezes, dois cachos de bananas bio representam dois sacos de plástico, mais o do tomate, o dos kiwis, … um pânico. Espero ser ouvida e, a longo prazo, conseguirmos diminuir todos em conjunto a imensa pegada que temos sobre o nosso planeta. É tão cruel quando sabemos que o plástico é dos materiais que mais demora a degradar-se, … e na maior parte dos casos é apenas usado uma vez. Um uso que pode ser de um ou dois dias, … e que leva anos a fio para ser destruído no ambiente. Uma embalagem que usamos hoje vai estar cá daqui a muitos anos, mesmo quando nós já não estivermos. É assustador!

E as promoções, com embalagens e mais embalagens? Quis comprar um pack de quatro patês para cão e para gato. Claro que o da promoção é mais apetecível relativamente ao preço, mas vinha em embalagens de cartão. Porque não fazem apenas a promoção em caixa, ou seja, quatro unidades dariam logo direito ao desconto? Ou apenas reunirem as embalagens com uma pequena tira de cartão, em vez de uma nova embalagem?

E depois, vendo com atenção os rótulos dos produtos? Essa é outra discussão, … outro tema de que um dia destes vos falarei. Os rótulos com descrições quilométricas assustam-me, … linhas e linhas de ingredientes que doem só de querer pronunciar o nome, … E’s e números desconhecidos, que escondem componentes perigosos e, alguns deles mesmo proibidos, … Gosto de produtos apenas com dois ou três componentes, … sem aditivos nem corantes, … sem que o açúcar seja ingrediente de primeira fila, … Cada vez mais, são esses que tento trazer para casa. O lema que há uns tempos li, tenho-o mesmo tentado seguir, e desafio-vos a fazer o mesmo: “desembale menos, descase mais!”. Pensem bem nele na vossa próxima ida às compras, no vosso dia-a-dia!

Agimos em conjunto? Pelo nosso bem, pelo bem dos nossos filhos, … pelo bem de um planeta maravilhosos que temos e não sabemos cuidar, … ainda vamos a tempo, temos é que agir já! Todos os dias!

Cuidar da voz desde pequenino… dicas para pais, filhos e educadores!

Ontem, dia 16 de Abril, comemorou-se o Dia Mundial da Voz! Parece um assunto estranho para abordar num blogue infantil, mas sendo eu terapeuta da fala, faz todo o sentido. Aproveito o rescaldo das comemorações deste dia para sensibilizar os mais pequeninos, os pais e os educadores acerca dos cuidados mais importantes a ter!

Várias pessoas se queixam de cansaço da voz, pelo seu uso excessivo ou abusivo. Professores, cantores, atores, palestrantes, e tantos outros que fazem uso da voz no seu quotidiano profissional, devem redobrar cuidados, mas não só. Até nós, pais, educadores e mesmo os mais pequeninos devemos seguir alguns conselhos simples, mas que podem evitar muitas complicações ao nível da voz. Os nódulos, os pólipos e outros problemas nas cordas vocais, as que produzem a nossa voz, tal como a conhecemos, não são apenas coisas de adultos ou daqueles que todos os dias esforçam mais a voz. Na minha prática profissional convivo de perto com algumas crianças bem pequeninas com problemas vocais, … uma rouquidão prolongada por mais de quinze dias é de nos deixar alerta. Se é pai ou educador, nunca desleixe esta queixa. Pode mesmo ser sinal de algum problema mais complicado, ou apenas o sinalizar de que a voz do seu pequenote está a ser usada de forma menos correta. Um médico deve ser consultado nestes casos, seja ele de clínica geral ou mesmo um médico otorrinolaringologista,que poderá realizar exames de despiste.

Nódulos em adultos já vi vários, mas em crianças acontecem também. O primeiro caso de nódulos infantis que acompanhei foi já há uns 5 anos, e o pequeno tinha na altura uns 10. Assim, para evitar todas estas situações, deixo alguns conselhos, para miúdos e graúdos:

  • Evitem gritar, mesmo em situações de jogo ou de brincadeira;
  • Evitem as bebidas muito geladas nos dias mais quentes. A água, que deve ser a bebida de eleição em todos os momentos, deve ser ingerida à temperatura ambiente, e numa quantidade de cerca de 1,5 a 2 litros por dia;
  • Evitem imitar vozes de desenhos animados e de outras personagens de ficção. O facto de colocarmos a voz mais grave ou mais aguda faz com que tenhamos que realizar várias compensações que, repetidamente, podem levar a lesões. Brincar sim, mas com cuidados!
  • Evitem os locais com ar condicionado. Estes secam a garganta e levam à produção de secreções.
  • Comam maçãs todos os dias, pois são excelentes na limpeza da garganta e na manutenção da saúde vocal, para além de serem um alimento muito saudável;
  • Evitem momentos de uso abusivo da voz. Caso estes aconteçam, o repouso deve ser feito depois;
  • Evitem os alimentos salgados e picantes que agridem as cordas vocais, devido ao refluxo (amargo que vem à boca) que provocam;
  • Cantem, mas sem elevar demasiado a voz!

São apenas algumas dicas úteis que podem evitar muitas complicações no futuro. Saber usar a voz, com respeito e moderação pode fazer toda a diferença. Ela é um dos nossos primeiros cartões de visita. Já imaginaram como seria ficar sem a poder usar durante alguns dias?