Canjinha de alho francês: simples e deliciosa!

Uma dica que hoje deixei nas nossas páginas de facebook e instagram fez furor e muitas foram as mensagens e comentários a pedir a receita. Pois bem, como prometida, aqui fica ela! 🙂 Simples e deliciosa, e que em nada deixa a desejar à canja mais tradicional.

Há alguns meses fiz a transição para o vegetarianismo, … nas últimas semanas deixei mesmo de comer carne e peixe e tenho apostado em experiências culinárias “do momento”. Esta foi mais uma delas, uma ideia que surgiu num click! Com alho francês vindo diretamente da quinta da avó da pequena Eva, lembrei-me desta alternativa. Foi experimentada em altura de férias e, como estaríamos apenas três dias por aquela casa, não nos apeteceu comprar carne. Sim, porque o papá e a pequena, apesar de terem reduzido o consumo, continuam a consumir sempre que assim o desejam.

Assim, aqui vos deixo as dicas. A receita faz-se de forma fácil e rápida, num modo de preparação muito semelhante ao da canja tradicional.

1º Partir o alho francês em rodelas finas ou pequenos pedaços, conforme o gosto.

Utilizei também um pouco da rama mais viçosa, pois gosto muito do seu sabor e textura. Coloquei a cozer num tacho com água e sal, durante uns vinte minutos. Assim, o alho francês fica cozinhado, tenrinho, e temos um caldo super saboroso e aromático. Podem juntar uma ou outra especiaria, se assim o desejarem. Nós fizemos da maneira mais simples, apenas com sal.

 

2ª Depois de cozinhado o alho, juntar as massinhas.

Deixo sempre a pequena escolher o formato, e desta vez a escolha recaiu nas letras. Já começa a ficar curiosa com elas e em descobrir as três do seu nome.

 

3ª Deixar cozer as massinhas como normalmente o fazemos na canja de galinha.

 

4ª No final, em cada pratinho, e depois de servir a sopa, juntamos um pouco de azeite. Temos uma sopa ainda com mais aroma e maior riqueza nutricional.

 

Fácil, não é? Não é por seguir o vegetarianismo que deixo de comer coisas maravilhosas, tão fantásticas que todos cá em casa ficam tentados a experimentar e aprovam! 🙂

Façam a vossa experiência aí em casa e partilhem connosco a opinião de quem provou o pitéu! Fica o desafio! 🙂